Aideen Finnigan

A melhor mecânica dessa maldita rocha flutuante!

Description:

Rude, arrogante e pavio curto. Poucas pessoas em Argos tem algo bom para dizer a respeito da mecânica. Mas em uma coisa todos concordam: ela é a melhor quando o assunto é criação ou reparos de maquinas a vapor.

Nivel de Ameaça: Medio/Alto. Agentes estão aconselhados a evitar contrariar a cientista. Sua protese mecanica apesar de ser um dos aparelhos mais antigos do planeta é surpeendentemente potente. Caso conflito seja iminente evitar combate corpo-a-corpo. Caso ela esteja portando sua armadura de batalha, permanencer perto pode reduzir possiveis danos.

Bio:

Sexo: Feminino

Data de Nascimento: 28º ciclo solar do 263º ciclo planetário pos-marco

Idade: 22 anos humanos

Ultima Localização: Dodge city, Argos

Nascida durante um eclipse solar, Aideen é a quinta geração dos Finnigan em Argos. Filha de Devlin Finnigan, atual proprietária do saloon local o Devlin’s Dare e Hugh Donovan, ranger morto no cumprimento do dever. Quando criança ela passava boa parte do tempo no saloon, já que Devlin tinha que manter a criança por perto, mas ao mesmo tempo não podia deixar de trabalhar. Graças a convivência com a clientela acabou desenvolvendo uma personalidade rude e conflituosa. Nas ocasiões em que ajudava a mãe no trabalho era comum ela discutir e até mesmo brigar com os clientes. Esse comportamento fez com que o seu avô, Connor Donovan, um ex-ranger sugerisse que ele cuidasse da garota.

Aceitando a proposta, Devlin permitiu que o avô cuidasse de sua filha. Durante seu tempo livre desde que deixou a força ele vinha estudando mecânica e após meses observando Aideen demonstrou interesse em aprender sobre o assunto. Foi então que ela conheceu seu primo, Blake Donovan, um aprendiz de ranger que também estava aprendendo mecânica com o avô com o interesse de facilitar seu trabalho através da tecnologia. Blake sabia lidar com a personalidade forte da prima graças a sua experiência com os rangers e apesar de brigarem ocasionalmente eles rapidamente se tornaram amigos.

Aos 14 anos, Aideen e Blake Iniciaram um projeto conjunto, a criação de um grande autômato movido a vapor chamado “steam jack” cujo propósito era ser utilizado pelos rangers em situações de alto risco. Com a facilidade de Blake de projetar armas, softwares, novas funções para o robô que acelerassem o trabalho dos rangers e o talento de sua prima em miniaturizar componentes e otimizar sua distribuição e utilização de energia a fase de planejamento foi concluída mais rápido que o previsto e a construção começou imediatamente. Usando peças que encontravam jogadas pela cidade ou conseguiam comprar com suas economias e supervisionados pelo avô.

Durante um dos testes, ocorreu um sobre aquecimento das caldeiras, em pânico os dois tentaram encontrar o motivo do aquecimento, sem sucesso. O autômato iria explodir e todo trabalho que a dupla teve seria em vão. Connor rapidamente pegou os dois e tentou os afastar, porém enquanto era arrastada para longe Aideen finalmente encontrou o problema: um dos exaustores havia retorcido por conta do calor e estava prejudicando a liberação do excesso de vapor. Com um martelo em mãos ela se libertou do aperto do avô e tentou salvar o precioso projeto, tentando pôr de volta o metal retorcido no lugar. Ela só precisava de mais um segundo que nunca foi lhe dado. Enquanto Connor corria para pegar a jovem, a máquina explodiu lançando-o para longe. Ele acordou com os gritos de sua neta e viu a terrível cena, Aideen havia perdido seu braço direito na explosão e Blake estava aplicando os primeiros socorros para que ela não morresse de hemorragia. Connor a levou para ser tratada e ela sobreviveu ao acidente, porém sem seu braço direito e o maior projeto deles arruinados ela não tinha motivação para continuar com a mecânica.

Após o acidente ela tentou voltar para o workshop e ajudar Blake e Connor, mas apesar da boa vontade dos dois Aideen se sentia como uma inválida, precisando de ajuda sempre que usava uma ferramenta. Com isso ela se afastou do avô e do primo e quando não estava vagando pela cidade estava no saloon, onde ela não mais arrumava confusão, o que preocupou sua mãe. Connor vendo a atitude da neta iniciou um projeto com a ajuda de Blake.

Em uma de suas andanças pela cidade, Aideen parou para descansar próximo a “Brackar Bakers”, a padaria local. Poucos minutos depois uma criança élfica veio até ela e lhe ofereceu alguns pães. Ofendida, a mecânica reclamou com a pequenina dizendo que não era uma mendiga e não precisava de comida. Soluçando e prestes a chorar com a reação hostil que recebeu, a criança, que aparentava ter por volta dos oito anos explicou que a padaria costuma distribuir comida aos desafortunados que vagam pela cidade em busca de trabalho e que a “moça” parecia triste como as pessoas que recebem a comida. Depois de sua explicação a criança de cabelos ruivos chora incontrolavelmente o que atrai a mãe da menina para o local. Chegando lá ela encontra Aideen tentando acalmar sua filha, sem sucesso, enquanto pede desculpas pela grosseria que havia cometido. Ao ver sua mãe a criança se acalma e aceita as desculpas da agressora. A mãe da menina se apresenta, July Brackar e sua filha Amelia Brackar. Novamente Aideen se desculpa pelo ocorrido e se oferece para ajuda-las na padaria como forma de se redimir. Hesitante July aceita, visto que ela conhecia Devlin e sabia dos problemas pelo qual a filha dela estava passando. No começo o trabalho era leve coisas simples como carregar bandejas e repor estoque, mas com o tempo July confiava trabalhos mais complexos a jovem, o que a ajudou a recuperar a coordenação motora do braço esquerdo. Quando as maquinas da padaria apresentavam pequenos defeitos, nada muito complexo, Aideen, agora mais confiante em suas capacidades resolvia o problema rapidamente. Amelia acompanhava maravilhada, para ela aquilo era como magia. Percebendo o interesse da menina que sempre a seguia quando havia algum problema com as maquinas e assistia atenciosamente, a jovem mecânica disse que poderia ensinar, assim Amelia poderia ajudar a mãe com as maquinas. Durante os próximos dois anos Aideen ensinou o básico sobre o funcionamento das maquinas da padaria para a criança.

Nesse tempo July sempre conversava com Aideen sobre seu tempo com o avô e primo e soube sobre o acidente e sua inabilidade de continuar com a carreira mecânica. A sabia elfa foi aos poucos fazendo com que ela recuperasse a confiança nela mesma e no seu talento como mecânica. Até que no dia de seu aniversário de 16 anos, ao retornar para casa depois de mais um dia na padaria ela encontra Connor e Blake a sua espera. Eles anunciam a grande surpresa: durante os últimos anos eles estavam trabalhando em algo, uma prótese mecânica, e ela estava finalmente concluída. Incrédula, Aideen sorri e diz que gostaria de ver o aparelho. Eles a levam para o workshop e lá eles a fazem pôr a prótese. O projeto é um sucesso e o braço-a-vapor funciona melhor que o esperado, emocionada, a mecânica abraça os dois um pouco forte demais e decidi voltar ao trabalho, pois mesmo sem a prótese, com toda a experiência que teve na padaria ela já se sentia confiante no seu retorno a mecânica. Ela vai até a padaria uma última vez para lhes contar e mostrar as boas novas. Se despedindo das duas elfas ela retorna ao trabalho.

Durante os anos que se seguem Aideen aprende como funciona o próprio braço e a partir de então o modifica para melhor atender suas necessidades. E pela qualidade de seu trabalho muitos a chamam de “a melhor mecânica de Argos”, título que faz questão de mencionar a todos que encontra. Porém sua personalidade forte a faz entrar em conflito com os clientes com frequência, já que eles não sabem nada, nem mesmo o que querem: por que fazer uma bateria de reposição quando é possível triplicar a eficiência da bateria atual? Logo percebendo que precisa de alguém que saiba lidar com pessoas, Aideen põe um anuncio procurando por um “aprendiz”. Ele negociaria com os clientes em potencial e ela o ensinaria a arte da mecânica. Para sua surpresa, apenas uma única pessoa respondeu o anuncio e não foi ninguém menos que Amelia, agora com 14 anos de idade. Desde então as duas trabalham juntas e sem descanso, graças a sua trainee, a mecânica está sempre ocupada criando ou consertando algo. Já no pouco tempo livre que possui ela ensina Amelia tudo que ela precisará saber para no futuro ser tão boa quanto ela. Atualmente aos vinte e dois anos de idade, ela adquiriu um interesse por wetware, a capacidade de transformar seres vivos em maquinas utilizando seus órgãos para substituir certos componentes.

Aideen Finnigan

The Archbase Yuu